(31) 3321-8504

(31) 3321-8504

Motor de arranque: o ponto de partida do seu carro

Muitos motoristas já passaram – ou vão passar –  pela situação chata de entrar no carro, colocar a chave no contato e, ao tentar dar a partida, perceber que o veículo simplesmente não quer ligar. Então, surge a questão: o que pode ter acontecido?

Será que a bateria descarregou? Ou há algo errado com a chave do automóvel? E se for combustível de má qualidade? Essas costumam ser as primeiras hipóteses que vêm à mente de todos, mas pouca gente se lembra de cogitar uma outra possibilidade: e se o problema estiver no  motor de arranque – também conhecido como motor de partida? Ele pode estar com defeito ou sofrendo alguma pane. 

Mas o que é o motor de arranque? Como ele funciona? É fácil de reparar? Quanto custa? E se o motor de partida do meu carro falhar? 

Não se preocupe: nesse artigo, você encontrará essas e outras respostas sobre esse componente essencial para o funcionamento dos veículos a combustão – como é o caso do seu carro, provavelmente.

O que é o motor de arranque (ou motor de partida)?

Surgido em 1912 para substituir as manivelas, até então usadas como ferramenta para dar partida nos carros, o motor de arranque nada mais é do que um motor elétrico que impulsiona o motor a combustão do veículo para que ele comece a funcionar – o que, obviamente, acontece de forma diferente quando estamos falando dos carros elétricos. Em resumo, o motor de arranque tem a função de transformar energia elétrica em energia mecânica por meio de um movimento de rotação, impulsionando o motor a combustão a sair do seu estado de inércia.

Ver a imagem de origem

Como funciona o motor de arranque

O motor de partida é formado pelas seguintes peças: bobina, bendix, mancais, induzido, solenóide e porta-escovas. Ele é instalado dentro da caixa de câmbio, entre o motor e o volante, e é alimentado com um cabo positivo diretamente na bateria e um negativo ligado à carroceria do veículo.

Quando a chave é inserida na ignição é acionada, o motor de arranque recebe uma pequena carga da bateria e forma-se um campo magnético que faz com que seus componentes comecem a girar. Esse giro é transmitido para as engrenagens do motor a combustão, fazendo com que o carro comece a funcionar.

Assim que a vela causa a primeira faísca na injeção de combustível, o motor de arranque para de funcionar e o motor a combustão continua trabalhando sozinho. Tudo isso acontece em uma fração de segundos!

Motor de arranque com defeito: sintomas

Agora que você já sabe como o motor de partida funciona, chegou a hora de conhecer os principais sinais de que alguma peça está com problemas.

Como o motor de arranque só é acionado quando o veículo dá a partida, ele passa por muito pouca atividade durante sua vida útil e só costuma apresentar algum defeito em veículos mais antigos e que já rodaram bastante.

Mesmo assim, é importante estar atento aos primeiros sinais de que o motor de arranque está desgastado e precisando de manutenção – ou até de substituição por outro novo.  

Aqui listamos alguns dos problemas mais comuns, e como você pode lidar com cada um deles. Confira!

1 – Estalos durante a ignição

Quando o motorista gira a chave e a resposta consiste apenas em estalos metálicos, o defeito pode estar no solenóide, que por sua vez não está conseguindo manter o campo magnético que é produzido ao acionar a ignição. Esse problema deve ser resolvido com a troca do solenóide.

2 – Ruídos altos

Quando isso acontece, é sinal que o motor elétrico foi acionado, mas o motor a combustão, não. Nesse caso, o problema é no bendix – também conhecido como pinhão – que não consegue encaixar no volante do motor e acaba girando sozinho. Isso geralmente acontece devido ao desgaste da peça, que deve ser substituída.

3 – Partida demorada ou “pesada” 

Costuma ser o problema mais frequente no motor de arranque e normalmente ocorre quando as escovas estão gastas, causando demora na condução de energia para o induzido. Como as escovas são feitas de um material leve e macio para facilitar os giros, elas tendem a sofrer mais rapidamente com os desgastes em relação aos demais componentes do motor de arranque.

A boa notícia é que a substituição das escovas é algo fácil de resolver e o preço é bem acessível. Mas é importante ressaltar que quando o induzido fica desgastado ou se o pinhão fica preso à cremalheira, a partida do carro também acaba ficando mais longa. Na dúvida, consulte um profissional especializado.

4 – O carro não liga

Se você girar a chave no contato e o carro não der nenhum “sinal de vida”, provavelmente o motor de arranque parou de funcionar de vez. Nesse caso, será preciso trocar a peça por completo e o preço varia entre R$300,00 até R$700,00 ou mais, dependendo do modelo do veículo. Provavelmente, haverá também o custo de mão de obra, pois trocar um motor de arranque não é uma tarefa tão simples.

Porém, fique atento a um detalhe importante: se a bateria estiver totalmente descarregada ou com mau contato na fiação, o carro também não dará partida.

Quando isso acontece, o motor de arranque não recebe o impulso elétrico e também acaba não funcionando. Nesse caso, não há necessidade de troca, já que o problema é na bateria. Na dúvida, consulte um mecânico de sua confiança.

Cuidados indispensáveis com o motor de arranque

Os motores de partida podem durar, em média, entre 40 mil e 50 mil quilômetros. Mas, se você ficar atento a alguns detalhes, o motor de arranque do seu veículo pode ter uma vida útil estendida:

  • Evite dar partidas desnecessárias no veículo: quanto mais o motor de arranque é acionado, maior será o desgaste.
  • Nunca gire a chave na ignição quando o motor à combustão já estiver acionado: isso pode ser fatal para o motor de arranque – principalmente para o bendix, que tentará se conectar ao volante do motor, que estará operando em velocidade elevada.
  • Se o carro não pegar na primeira tentativa de partida, sempre volte a chave para a posição inicial e procure não insistir neste procedimento: quando o sistema de ignição é acionado por mais de dez segundos, ele força o motor de arranque e pode haver um superaquecimento, causando a queima das peças.
  • Confira sempre o nível do reservatório do tanque de partida a frio: ele deve estar abastecido com gasolina, que é essencial – principalmente nos dias mais frios – para que o motor de arranque também não corra o risco de superaquecer em uma longa tentativa de dar partida no veículo.

Como saber se o motor de arranque está em bom estado?

Para evitar que o motor de arranque do seu carro deixe você na mão, é importante estar atento aos sintomas de problemas, e cuidar não só da forma de ligar o carro, mas também garantir que as revisões e manutenções periódicas do veículo estejam sempre em dia.

Esse cuidado também é fundamental na hora de comprar um carro usado ou seminovo: para não ter dor de cabeça no futuro, você pode pedir que um mecânico de confiança analise o veículo de perto e confira o estado do motor de arranque e de outras peças. 

Mas, se quiser uma opção melhor ainda, você pode deixar tudo isso e muito mais por conta da AEC Arranques e Alternadores, somos especialistas no assunto.

Nos acompanhe:

Site: AEC ARRANQUES E ALTERNADORES

Instagram: AEC Arranques e Alternadores (@aecarranquesealternadores_) • Fotos e vídeos do Instagram

Youtube: AEC ARRANQUES E ALTERNADORES – YouTube